Open/Close
Português
Escrito por: Ammara Naeem, Chief Client Success Officer no Top Employers Institute
Escrito por: Ammara Naeem, Chief Client Success Officer no Top Employers Institute

Saúde mental e bem-estar para funcionários em face da COVID-19

A saúde mental e o bem-estar têm sido prioridades para muitos empregadores durante a pandemia de Covid-19. Entre as empresas certificadas como Top Employers em 2020, observamos um incremento dramático nas iniciativas relacionadas ao bem-estar dos funcionários na lista de prioridades de RH e de negócios.

Mesmo antes do Covid-19, já estava claro para as empresas que níveis precários de saúde mental e baixo bem-estar impactavam diretamente na qualidade do ambiente de trabalho. No entanto, a pandemia acelerou uma mudança significativa e positiva no compromisso de agir por parte das empresas. Quase todos os certificados como Top Employers, por exemplo, viram sua alta administração se envolver mais ativamente em programas de bem-estar, enquanto muitos outros nomearam “campeões” dedicados à promoção da saúde mental em suas organizações.

As práticas pré-pandêmicas dos Top Employers os prepararam para expandir e melhorar suas ofertas à medida que a crise avançava. Neste artigo, veremos o que eles fizeram, o que aprenderam e como se adaptaram ao trabalho remoto.

Quais iniciativas de bem-estar e saúde mental funcionaram bem para você no ano passado?

Na JTI houve uma forte ênfase na solidariedade entre os membros da equipe. Todos os membros da organização foram convidados a se conectar regularmente, porque funcionários apoiados e apreciados tendem a apresentar melhores desempenhos.

Os programas da JTI forneceram esse apoio e os funcionários puderam acessar vários recursos voltados para o seu bem-estar. As muitas iniciativas implementadas globalmente no ano passado incluíram:

  • Um LifeWorks EAP (Programa de Assistência ao Funcionário) e app de bem-estar, que inclui o funcionário e até 5 membros da família.
  • Um programa de “quintas-feiras de bem-estar” com dicas e conselhos, juntamente com webinars facilitados por especialistas no assunto.
  • Um calendário de bem-estar 2021, com um novo tema atribuído a cada mês.
  • Treinamento “Primeiros Socorros em Saúde Mental” para funcionários e seminários de conscientização para gerentes de linha.

A Saint-Gobain China obteve sucesso considerável ao desenvolver reuniões virtuais, chats em grupo e pesquisas para gerenciar e medir o bem-estar. Eles também encorajaram esportes ao ar livre e atividades de formação de equipes, em conformidade com os regulamentos locais. A abordagem da Saint Gobain incentivou fortemente horários de trabalho flexíveis. Esta iniciativa é fácil de se implementar quando o colaborador trabalha de casa, e a empresa, como muitas outras, acredita que poderá avançar ainda mais nessa área de oportunidades no futuro.

A Saint-Gobain China não apenas promoveu mais atividades e interações online para avaliar a saúde mental e o bem-estar de seus funcionários, mas também se comprometeu com o seu monitoramento sistemático para avaliar sua eficácia. Eles descobriram que a qualidade era mais importante do que a quantidade na comunicação. Ainda assim, houve uma ênfase clara na necessidade de manter a comunicação. A velocidade da mudança requer conversas regulares de acompanhamento entre colegas. Ainda assim, a Saint-Gobain acredita que, dentro dos limites da legalidade, sua equipe se beneficia de encontros cara a cara sempre que possível.

Já o foco do ING Bank na França tem sido busca o equilíbrio adequado entre vida pessoal e profissional. Entre outras iniciativas, foi pioneira no desafio “No Meeting”, que significava que não havia reuniões agendadas entre 12h30 e 13h30 todos os dias, e nenhuma reunião após as 16h às quartas e sextas-feiras.

O que eles fizeram para melhorar seus programas? E como eles aplicaram o aprendizado?

A Deloitte Brasil se concentrou em garantir que aqueles que trabalhassem de casa tivessem informações precisas sobre a pandemia. O objetivo era minimizar os níveis de ansiedade e encorajar todos a compartilhar suas experiências para promover o apoio mútuo e reduzir qualquer sentimento de isolamento.

À medida que a pandemia se desenrolava, a escuta ativa das equipes da Deloitte ajudou a empresa a se preparar para uma maior demanda por suporte de saúde emocional. Isso lhes permitiu redesenhar uma estratégia de bem-estar mais enfocada nesta área, e introduzir um novo app para reforçar os serviços contratados junto aos seus prestadores de saúde.

Outra iniciativa importante foi a parceria da equipe de bem-estar com a Deloitte Corporate University para fornecer um novo tipo de academia de liderança. O objetivo era treinar gestores para cuidar da saúde emocional dos membros da equipe, além de compreender e abordar questões fundamentais, como inteligência emocional e felicidade corporativa.

Como suas políticas e práticas de recursos humanos se adaptaram para se adequar a um mundo remoto de trabalho?

Para acomodar o trabalho remoto, a DHL Global Forwarding estabeleceu uma iniciativa de bem-estar online que oferece cursos e informações importantes sobre a Covid-19, enquanto sua plataforma de aprendizagem fornece orientação sobre saúde mental e gerenciamento de estresse.

Muitos funcionários foram mobilizados para trabalhar de casa em questão de dias. Isso testou a resiliência e o espírito empreendedor das equipes. A empresa manteve esse espírito com campanhas como '#DGFWorksFromHome' (DGF trabalha em casa) e 'Nossa Gente, Nossa Família' que buscavam compartilhar a mensagem de apoio a cada funcionário e a realidade de seu ambiente de trabalho (seja trabalhando em casa ou deslocando-se com segurança para escritórios e cuidando de seus entes queridos).

Enquanto isso, o ING Bank França se adaptou ao local de trabalho remoto criando um modelo de trabalho híbrido que será aplicável assim que os funcionários puderem retornar pessoalmente. Este novo modelo combina trabalho em casa por pelo menos 50% do tempo, com reuniões colaborativas presenciais por alguns dias da semana.

Há mais alguma coisa que você gostaria de compartilhar sobre o desenvolvimento de suas práticas de bem-estar desde o início de 2020?

A JTI acredita que a pandemia acelerou o lançamento global de seus programas de saúde mental e bem-estar. Como resultado, a empresa agora conta com um conjunto altamente inclusivo de benefícios e ferramentas de bem-estar, que seus funcionários podem acessar globalmente.

Os programas de bem-estar devem ter como objetivo produzir benefícios duradouros, bem como mitigar riscos. Por meio de seu programa de bem-estar, a Deloitte Brasil acredita que um dos principais benefícios tem sido o maior nível de agilidade de sua força de trabalho, após os inúmeros desafios enfrentados.

Finalmente, ações mesmo simples no meio de uma crise podem ser muito úteis. Pelos esforços excepcionais dos funcionários durante a pandemia, a empresa controladora da DHL Global Forwarding, o Deutsche Post DHL Group, concedeu a todos os funcionários em tempo integral um bônus de € 300 em setembro de 2020, e os funcionários em meio período receberam um bônus proporcional às suas horas de trabalho.

Conclusões

Ao analisar os efeitos da pandemia Covid-19, podemos ver que muitas das iniciativas de saúde mental e bem-estar dos Top Employers foram construídas sobre bases sólidas das melhores práticas já existentes em suas equipes. O que a pandemia fez foi acelerar e expandir novas atividades, além de aperfeiçoar e melhorar as já existentes.

Algumas iniciativas simples, como o desestímulo a horas-extra e ao envio de e-mails fora do horário comercial normal, bem como a responsabilidade de um gestor em estimular a equipe a se desconectar durante as férias, custam pouco na implementação, mas mandam sinais claros a todos os colaboradores. Outras iniciativas exigem mais investimentos e o que fica claro é que os desafios estão longe de acabar, mesmo quando alguns funcionários voltam ao local de trabalho.

Os líderes da RH cada vez mais terão que estar à frente dos desafios. Muitos funcionários que experimentaram altos níveis de estresse e ansiedade precisarão de suporte de longo prazo, talvez incluindo relocação, transição de carreira ou outras iniciativas de aconselhamento.

A certificação do Top Employers Institute reconhece organizações líderes em todo o mundo por seu compromisso com seus funcionários e as melhores práticas de força de trabalho.