Open/Close
Português
*Sinakho Dhlamini, especialista em conteúdo de RH, da Top Employers Institute
*Sinakho Dhlamini, especialista em conteúdo de RH, da Top Employers Institute

Desvendando o futuro da integração para o trabalho remoto



O processo de Onboarding é uma parte fundamental de qualquer organização – a dinâmica é a principal forma de integrar os novos funcionários de uma empresa. Quando o sistema de contratação é bem pensado e construído de uma forma efetiva, toda a corporação tem muito a ganhar com isso – fazendo uma diferença significativa na carreira dos funcionários e facilitando a retenção de talentos.


Assim como outras tantas funções do setor de RH, o processo de integração que antes era presencial, torna-se cada vez mais digital. Agora, chegou o momento de olhar de forma cuidadosa, observando como as empresas integram os funcionários e se todas as estratégias estão realmente sendo efetivas e bem alinhadas.

Siga nosso LinkedIn para mais atualizações e notícias de RH

Procedimentos de integração digital e virtual

Ainda antes da pandemia de Covid-19 – que causou uma necessidade muito veloz de adaptação do modelo de trabalho-, a Top Employers em todo o mundo já estava implementando diversos processos de integração digitais. Ainda em 2020, antes mesmo das restrições sanitárias e de circulação, 83,9% das empresas já faziam algum tipo de experiência digitalizada de Onboarding. Outra iniciativa importante que pudemos observar com nossos Top Employers globais foi  que 65,49% em 2020 já utilizaram grupos internos de mídia social para novas contratações.

Embora os líderes de RH tenham adotado a capacidade de empregar soluções digitais e virtuais para atividades de integração que costumavam ser feitas pessoalmente, ainda é importante notar que muitas dessas decisões, embora tomadas de forma consistente, não tiveram um plano estratégico que as sustentasse. Isso significa que é difícil ver os benefícios de contar com estruturas digitais como suporte para essas iniciativas porque elas não estão sendo executadas de forma intencional e objetiva. Porém, é importante estudar soluções adequadas para cada tipo de empresa e/ou estrutura.

Integração remota além de uma área de trabalho

Em muitas das inovações digitais que foram feitas para apoiar os esforços de integração, tem havido uma dependência muito comum, inclusive, do uso de laptops e computadores desktop para usar esse tipo de sistema de onboarding. Embora muitos cargos permitam que isso seja uma opção para seus funcionários, há muitas regiões e setores onde há o trabalho remoto e que as necessidades podem variar dependendo da conexão e dos dispositivos utilizados pelos funcionários. À medida que as empresas diversificam a forma como integram seus funcionários, existem várias soluções diferentes que podem alterar o curso do processo de integração.

 

E quais são os desafios para integrar os funcionários? Uma das formas mais comuns pelas quais as empresas têm procurado fazer esse trabalho de integração envolveu o uso de smartphones e seus recursos digitais para integrar equipes remotamente. Esse processo é possível com a utilização do serviços SMS; criar aplicativos móveis que oferecem alguns dos recursos de treinamento, bem-estar e suporte; e videoconferência por meio de versões móveis das versões para desktop, como MS Teams e Zoom. A conveniência dos smartphones ajuda a torná-los eficazes e relativamente simples para integrá-los às estruturas existentes nos procedimentos de integração de RH.

A integração remota é o único futuro da integração?

Um dos pensamentos que levaram a este artigo tem como ponto de início a seguinte dúvida: a integração remota é um conceito que veio para ficar? Embora as empresas estejam concentradas nos aspectos positivos da conexão remota e menos pessoal, seria negligente não considerar alguns dos aspectos que podem tornar a integração pessoal bem-sucedida.

É inegável que mudar de emprego é um momento cheio de dúvidas e anseios para novos funcionários. Conhecer o ambiente, a cultura organizacional e até mesmo os novos colegas de trabalho - sendo capaz de conectar pessoas além das suas tarefas de trabalho. Embora isso não seja completamente desconexo com a integração remota, especialmente porque muitas empresas investiram em eventos virtuais que tem como objetivo recriar uma aproximação mais intimista, o virtual definitivamente não é a mesma coisa que estar na mesma sala que alguém.


É possível que o onboarding remoto a ser feito de forma eficaz para uma empresa e como o futuro do trabalho continua a desenvolver e reinventar a flexibilidade que ele ajuda a facilitar significa que é provável que fique. É improvável para ficar no mesmo formato que temos agora, com ele provavelmente se tornar um sistema híbrido de ferramentas remotas e procedimentos em pessoa. Como profissionais de RH estão apenas começando a avaliar o futuro da onboarding é provável que passar por várias reinvenções.