Open/Close
Português

Por que diversidade sem inclusão não é crescimento?

Recentemente Katie Wynn, Gerente de Diversidade e Inclusão na Asda, foi convidada para um seminário de Diversidade e Inclusão oferecido pelo Top Employers UK.

Além disso, a aplicação da Responsabilidade Social Empresarial também tem grande impacto na gestão interna dos negócios. 

Outra pesquisa, esta realizada pela Boyden Global Executive Search e intitulada “Executive Monitor: CEOs and the New CSR Priority”, mostrou que, dentre os jovens millennials (nascidos pós-anos 80), 83% afirmam estar mais inclinados a integrar equipes de empresas com programas robustos de responsabilidade social. 

Diante de dados como estes, fica mais fácil entender por que a aplicação da responsabilidade social no meio corporativo é tão importante. 

Pensando nisso, preparamos um artigo com os principais tópicos levados em consideração para compreender o nível de maturidade do programa nas empresas e estimular a adoção de práticas de impacto social positivo nas organizações. 

Corporate Social Reponsibility na Top Employers 2020

Para guiar nosso raciocínio neste post, vamos tomar como base o resultado da certificação Top Employers 2020, que avaliou organizações globais de diversas categorias e elencou os empregadores que demonstraram oferecer a seus colaboradores ambientes de trabalho de classe mundial. 

Entre as práticas de RH avaliadas, estava a responsabilidade social empresarial. Os respondentes forneceram informações valiosas sobre a aplicação da política na empresa, possibilitando a criação de um belo panorama da realização de boas práticas socioambientais corporativas  no Brasil e no mundo. 

“Todas as ações de Responsabilidade Social Corporativa capitaneadas pelas organizações aumentam a satisfação dos colaboradores, além de consolidar a fidelidade de clientes e stakeholders. Nossa pesquisa de metodologia única e aplicada globalmente também aponta que atividades de RSC estimulam a capacidade, a competitividade e o pensamento disruptivo entre os funcionários”, explica Gustavo Tavares, Diretor Geral do Top Employers Brasil.

A seguir, vamos discutir os principais tópicos abordados na certificação. 

Como definir um programa de Responsabilidade Social Corporativa?

De acordo com os resultados da pesquisa Top Employers 2020, 93% das organizações têm programas de responsabilidade social corporativa definidos para toda a empresa. Além disso, 5% dizem não cumprir a prática de forma consistente, e 2% não a aplicam. 

Com este resultado em mãos, podemos ir além e perguntar: como acontece em sua empresa? 

Se sua organização faz parte dos 93%, você deve saber como comunicar responsabilidade social na empresa, compreendendo que ela deve ser vivenciada diariamente e atrelada aos valores do negócio. Quando a filosofia interna da corporação comunica seu posicionamento com a responsabilidade social, toda a equipe se torna capaz de vivenciá-la diariamente.  

Além disso, é importante aliar o pensamento com práticas contínuas e envolventes. Para solidificar um posicionamento, é preciso investir em canais internos de divulgação, eventos voltados à temática e um canal aberto para diálogos com os colaboradores. 

Como incorporar o impacto social na tomada de decisões?

Sabemos que o papel do CEO para a transformação cultural de uma empresa é decisivo. Por isso, é fundamental que as empresas que apostam em responsabilidade social corporativa incorporem, de fato, o impacto social na tomada de decisões. 

Para 83% dos respondentes da Top Employers 2020, essa tarefa já é realizada com sucesso. Nestas organizações, a diretoria está consciente de seu papel estratégico na promoção de valores de impacto social e ambiental e atrela suas decisões à responsabilidade social promovida interna e externamente pela empresa, compreendendo que a prática é crucial ao sucesso e à lucratividade do negócio. 

Como familiarizar e integrar os colaboradores no programa de responsabilidade social corporativa? 

Quando falamos na aplicação da responsabilidade social, não podemos nos esquecer da importância dos colaboradores como multiplicadores e protagonistas das ações. 

Uma empresa que coloca ações de impacto social em prática apenas no âmbito externo, definitivamente, não está por dentro da vertente interna da ferramenta, que defende a importância de melhorar o bem estar no ambiente de trabalho.

O resultado da Top Employers mostra que, neste aspecto, ainda há caminhos a trilhar. Apesar de 58% das empresas levarem em consideração as necessidades e preferências de seus colaboradores para desenvolver iniciativas de responsabilidade social, 28% reconhecem não adotarem a prática regularmente. Além disso, 14% das empresas afirmam que não têm este hábito. 

Então, o que fazer para criá-lo? 

O primeiro passo para integrar e familiarizar os colaboradores no programa de responsabilidade social corporativa é criar campanhas de comunicação em toda a empresa. 

Com essa estratégia, é possível apresentar o posicionamento da marca ao colaborador, convocando sua participação ativa como multiplicador da mensagem da empresa e empoderando-o como protagonista de novos projetos e ações. 

Uma das possibilidades de projetos é a criação de um programa de voluntariado empresarial. O objetivo deste tipo de ação é incentivar e apoiar o engajamento dos funcionários em causas voltadas ao suporte à comunidade. 

Como a aplicação da responsabilidade social é mensurada? 

Existem duas fórmulas para garantir que a aplicação da responsabilidade social nas empresas seja bem-sucedida. 

A primeira delas é a criação de um cronograma de ações contínuas. É preciso atuar de forma constante, tanto em ações internas, quanto externas, engajando colaboradores e stakeholders. 

Segundo Rui Ramos, CEO da eSolidar, ações isoladas não produzem nem impacto, nem resultados ao nível de engajamento de colaboradores. Além disso, para ele, existem diversos fatores importantes para uma estratégia de Responsabilidade Social dentro das empresas. “É fundamental envolver os colaboradores em todas as etapas, medir o impacto, efetuar sempre um report e a avaliação das ações. Tornar os resultados públicos de forma transparente promove o interesse e a participação do time em ações de impacto social”. 

Por essa razão, a segunda fórmula diz respeito exatamente à mensuração do impacto e da eficácia do programa na corporação. 

Apesar de parecer um pensamento óbvio, gerir ações desse tipo não é uma tarefa tão simples. Não à toa, a Top Employers revelou que 27% das empresas fazem o acompanhamento de forma precária ou não fazem de forma alguma. 

Entretanto, 73% das organizações já sabem o caminho, e afirmam medir o desempenho das ações no mínimo a cada dois anos. 

A seguir, vamos descobrir algumas formas de entender se as ações realizadas são ou não eficazes para a empresa e para o público-alvo.

Afinal, como saber se as ações realizadas estão, de fato, atendendo às necessidades do público-alvo? 

Existem algumas formas de mensurar e acompanhar a responsabilidade social empresarial. Algumas delas são: 

  • Avaliação de Impacto - SROI
  • Balanço Social 
  • Global Reporting Initiative (GRI)

Além disso, cada empresa pode criar seus próprios indicadores para medir o desempenho das ações dentro e fora da organização. 

É recomendado identificar as melhores ferramentas (entrevistas, questionários, análise de dados, avaliações quantitativas…) e testá-las continuamente, até obter os resultados mais precisos. 

A aplicação da responsabilidade social na rotina de uma organização pode não ser uma tarefa tão simples, já que exige um profundo alinhamento com o DNA da empresa, familiaridade com os colaboradores e uma rotina frequente de atividades e mensuração de resultados. 

Entretanto, uma vez aplicada, a prática só tem a agregar: ganha a empresa, que se fortalece enquanto marca e é vista com mais entusiasmo pelos consumidores; ganham os colaboradores, que trabalham motivados e engajados; e ganha a sociedade, que se beneficia com o impacto positivo causado pela corporação. 

Se a aplicação da responsabilidade social ainda não está na pauta da sua empresa, nossa sugestão é que você aproveite o fim da leitura deste artigo para começar já! 

Autor convidado: eSolidar - empresa Portuguesa e com atuação no Brasil. Possui o objetivo de criar uma comunidade solidária, conectando empresas, organizações sociais e pessoas,. A solução Business permite às empresas comunicarem e gerirem a responsabilidade social, engajando seus colaboradores e comunidade. 



Quer saber mais sobre o seminário de Diversidade e Inclusão do Top Employers UK? Acesse o link